Portugal em pormenor!

Conheça o seu País!

Embarque numa viagem apaixonante e conheça Portugal, um país de contrastes que faz da diversidade uma das suas maiores riquezas.



Descubra um Portugal maior
Campanha de Turismo de Portugal, I. P.

Objectivo desta Enciclopédia

A enciclopédia Memória Portuguesa pretende ser um espaço de informação sobre todas as localidades de Portugal, dando destaque ao seu principal património: os cidadãos. O site é composto por artigos, criados e editados pelos próprios utilizadores, bem como por um fórum de debate onde todos são convidados a participar.

A sua terra não está aqui?

Coloque o nome na caixa abaixo e clique em search. Se ainda não existir, pode criar um novo artigo sobre a sua terra!

Se apenas quiser comentar, utilize o Fórum ou os Comentários no fim de cada artigo.
Participe e contribua para aumentar a qualidade e a quantidade dos artigos da enciclopédia Memória Portuguesa.

Se não tem disponibilidade para desenvolver o artigo agora, coloque apenas o nome da sua terra num novo artigo e clique em save (guardar). Em breve, um outro utilizador poderá procurar informação para desenvolver o artigo.

Precisamos de si!

Crie ou amplie os artigos sobre a sua terra. Demonstre o amor pela sua terra natal ou pela localidade onde vive adicionando informação enciclopédica relevante. Pode incluir imagens, vídeos e textos explicativos. Preserve a memória da sua terra, recordando as suas tradições peculiares e únicas. Basta criar um artigo sobre o assunto.

Nesta Enciclopédia das localidades portuguesas, nenhuma povoação é pequena demais para ficar de fora!

rosadosventos100.png

Para onde irá agora?

Use a caixa de pesquisa para encontrar a informação que procura. Se não existir na Memória Portuguesa, sugerimos que pesquise em outro local e depois partilhe o que encontrou com os outros utilizadores por criar novos artigos ou ampliar os existentes.

Pode ainda visitar a árvore de categorias da enciclopédia Memória Portuguesa.

Saiba quais são os artigos mais votados.


Curiosidades & Novidades

Novos artigos

Últimos artigos criados:

Fórum

Últimos tópicos activos:

Torre de Moncorvo e lindo! O meu pai Carlos Augusto Moutinho e a minha mãe são de umas aldeias p...
(por Ana Cristina Coutinho Moutinho (convidado) 01 Aug 2014 15:56, posts: 1)
Erra continua a ser vila, como se pode constatar pelo brasão
(por Alfredo Pinto (convidado) 27 Jul 2014 00:33, posts: 1)
nasci em 74 e ainda vi o matadouro funcionar…..talvez em meados dos anos 80.
(por jorge simões (convidado) 24 Jul 2014 15:32, posts: 5)
A questão que eu coloco e que há bastante tempo procuro a resposta, é exactamnete igual á da D. Fi...
(por luis rocha (convidado) 30 Jun 2014 09:30, posts: 5)
Há erros nos senhores de Ferreira de Aves. Aliás erros comuns com origem no Livro de Linhagens d...
(por Diogo Pacheco de Amorim (convidado) 28 Jun 2014 10:08, posts: 5)
capa_focus.jpg

O Amor a Portugal

Dulce Pontes é considerada uma das mais extraordinárias cantoras portuguesas de sempre, e o seu amor por Portugal é evidente e notável. Basta lembrar o seu primeiro grande sucesso, onde cantou a "Lusitana Paixão". Ela mesma musicou o belíssimo poema de Fernando Pessoa, "O Infante", reproduzido mais abaixo nesta página. Mais recentemente, da parceria com Ennio Morricone, nasce um novo hino, o fantástico tema "O Amor a Portugal" que pode ouvir por clicar abaixo em play.

Sabe qual é a terra natal de Dulce Pontes?



Anuncio.jpg

"As armas e os barões assinalados,
Que da ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis, que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando;
E aqueles, que por obras valerosas
Se vão da lei da morte libertando;
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte."

Luís Vaz de Camões
Os Lusíadas
1572
"Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!"

Fernando Pessoa
Mensagem
1918
"A Europa jaz, posta nos cotovelos:
De Oriente a Ocidente jaz, fitando,
E toldam-lhe românticos cabelos
Olhos gregos, lembrando.

O cotovelo esquerdo é recuado,
O direito é em ângulo disposto.
Aquele diz Itália onde é pousado,
Este diz Inglaterra onde, afastado,
A mão sustenta, em que se apoia o rosto.

Fita, com olhar 'sfíngico e fatal,
O Ocidente, futuro do passado,
O rosto com que fita é Portugal."

Fernando Pessoa
Mensagem
1928
"Meu amor meu amor
meu corpo em movimento
minha voz à procura
do seu próprio lamento.

Meu limão de amargura meu punhal a escrever
nós parámos o tempo não sabemos morrer
e nascemos nascemos do nosso entristecer.

Meu amor meu amor
meu pássaro cinzento,
a chorar a lonjura,
do nosso afastamento.

Meu amor meu amor
meu nó e sofrimento
minha mó de ternura
minha nau de tormento.

este mar não tem cura este céu não tem ar
nós parámos o vento não sabemos nadar
e morremos morremos devagar devagar."

José Carlos Ary dos Santos
Meu amor, meu amor
1968
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.