Almargem do Bispo

Almargem do Bispo
Sintra



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"almargem-do-bispo","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Almargem do Bispo é uma freguesia portuguesa do concelho de Sintra, com 37,42 km² de área e 8 417 habitantes (2001). Densidade: 224,9 hab/km². É das freguesias mais rurais do concelho de Sintra, situa-se a Este do concelho.

Localidades

É constituída pelas aldeias de Almargem do Bispo, Almornos, Albogas, Aruil, Negrais, Sabugo, Covas de Ferro, Dona Maria e Camarões.

História

A origem da freguesia perde-se nos tempos e remonta por certo à época Neolítica. A referência mais antiga do povoado de que há conhecimento, é a carta de venda, de Abril de 1203, de uma vinha no lugar do Almargem, por 7 morabitínos, feita por D. Paio Gonçalves, Prior do Mosteiro de São Vicente, e a doação, em Março de 1264, efectuada ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, "dum herdamento de herdades e viñas e de casaes com seus corraes e montes e fontes e águas, entradas e saídas e pasigos e todos dereitos (…) no termo de sintra em loco que dizem Almargeo".

No século XV, o espaço geográfico do Almargem estava dividido em duas partes: a que pertencia ao Termo de Sintra e andava integrada na zona canónica de São Pedro de Canaferrim e a da banda de Leste, que pertencia ao Termo de Lisboa.

"Dentro do povoado do Almargem, festeja-se o Espírito Santo e S. Mamede" e "dizem—se muitas missas" na Capela Gótica, "aonde vão as romarias da Freguesia". Mais ao Norte, a Ermida de Santa Eulália, acabara de ser edificada, em 1466; e depressa se torna de "grande romagem" e se começa a fazer uma "feira no seu largo". Já então, existia de recuada época, a Ermida de Santa Cruz, do Casal da Granja.

No século XVI, os desajustamentos mais flagrantes da região, são sofridos pela Freguesia do Almargem do Bispo pelo corte diagonal do seu território, desdobrado judicialmente entre Lisboa e Sintra. A Freguesia de Almargem era mais considerada olissiponense do que pertencente a Sintra. Eclesiasticamente pertencia a Sintra; administrativa e judicialmente a Lisboa.

Por esta altura, os habitantes de Almargem terão erguido uma Ermida ou simples Eclésia Cemiterial. D. Miguel de Castro (1536-1625), Bispo de Viseu, e depois Arcebispo de Lisboa, que era senhor de muitas terras no Almargem, teria determinado a criação da paróquia. Dizem as crónicas que "sendo o povo de Almargem incomodado pela instância da freguesia a que estavam sujeitos hum Bispo e suas irmãs, que ali havia e eram senhores do grande Casal do Almargem, trabalharão para que se erigisse ali huma paróquia separada com a invocação de São Pedro; e o povo desanexou da antiga paróquia". E, deste modo, em memória ao seu Bispo, passou a designar-se a nova Freguesia de São Pedro de Almargem do Bispo. Já para o fim do século, Filipe I, concede aos caseiros do Bispo D. Miguel de Castro, "alvará de previlégios".

Existia então desde 1542, no lugar de Camarões, na zona do termo de Lisboa, a Ermida de Nossa Senhora dos Enfermos, na qual se venerava a "Virgem Senhora e Sant'Ana; a ela vem muitos romeiros em satisfação de votos e procurarem o amparo da mesma Senhora que a muitos socorre, o que se vê pelos milagres que tem nas paredes".

No século XVII, logo na alvorada do Século, Filipe II concede alvará de finta, aos moradores de Almargem do Bispo, para fazerem a obra da Igreja. São ainda as velhas escrituras que acrescentam que, "o Bispo e suas irmans não só concorreram para isto e para a edificação da igreja mas também deram do seu próprio Casal o terreno preciso para essa edificação, para as casas do pároco, para logradouro e passal, adquirindo por este modo huma espécie de Direito de Pay". De posse de regalias várias e de previlégios outorgados por D. João IV, os fregueses do Almargem do Bispo, aformoseiam orgulhosamente, em 1667, todo o interior da sua igreja; e, por alturas de 1687, fundam uma albergaria. No século XVIII, em 1717, os fregueses do Almargem, executam na igreja de São Pedro, obras avultosas.

Além do orago São Pedro, veneram-se então, nos altares, as imagens de Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora do Rosário; como igualmente Santo António, Santo Antão e São Miguel. E, diz o Dicionário Geográfico, que tinha assento no tempo, "Hua só irmandade q hé das almas". Havia, porém, mais as confrarias do Santíssimo Sacramento e de Nossa Senhora da Piedade. Esta última, viria a obter licença para o lugar do Almargem, de uma Feira Franca, por provisão de 18 de Agosto de 1762. Em 1758, ergue-se sobre o Monte Saborel, na Fonte da Aranha, a Ermida de Nossa Senhora da Piedade da Serra. Já então, funcionava naquele lugar uma feira concedida aos seus moradores, por alvará de 20 de Outubro de 1753. E, em 1768 no lugar de Dona Maria, erige-se a Ermida de Nossa Senhora do Monte Carmo.

No século XIX, aparece um novo patrono da região, o General Barnabé António Ferreira. Em 1862, casa em segundas núpcias com Amélia Sophia Gonzaga, proprietária de várias terras no Almargem. A sua ligação à freguesia tem aqui o seu início. Apesar de ter residência em Lisboa, era na Quinta do Rebolo, em Almargem, onde tinha uma propriedade que se refugiava muitas vezes.

Conta-se então que foi nesta Quinta que muito apreciava, que o General Barnabé fez o seu testamento. Entre outros beneficiários inclui-se também a Junta de Freguesia de Almargem do Bispo. Legou as suas propriedades, conforme reza o testamento, "à Junta de Paróquia da Freguesia de São Pedro de Almargem do Bispo, ou à corporação que de futuro a possa substituir no concelho de Sintra, com a obrigação de estabelecer na casa da Quinta do Rebolo uma escola mista", que seria denominada escola Ferreira.

Topónimo

O topónimo principal, Almargem, é de origem árabe. Provém da palavra al-marj, que significa "o prado, o pântano", ou mais especificamente "o paúl". Quanto ao designativo "do Bispo", está relacionado com o facto de Dom Miguel de Castro, Bispo de Viseu e Arcebispo de Lisboa, e senhor de muitas terras na Freguesia, ter mandado construir uma Ermida em Almargem (Capela de São Pedro). É, portanto, em memória deste Bispo que a Freguesia passou a chamar-se de São Pedro de Almargem do Bispo.

Economia

No passado era a agricultura a actividade dominante de suas gentes, principais abastecedores dos mercados de Sintra, Belas, Queluz, Amadora e Lisboa. Hoje em dia Almargem, Aruil e Albogas são sem dúvidas os grandes fornecedores de Lisboa das hortaliças que ali se consomem. Actualmente são importantes também o comércio e a indústria, como é o caso de Negrais, que além da transformação da pedra, tem uma indústria bastante conhecida: o famoso leitão de Negrais.

Património

  • Complexo arqueológico de Olelas (Serra de Olelas)
  • Igreja de Almargem do Bispo ou Igreja de São Pedro

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Almargem do Bispo","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.