Alvega

Alvega
Abrantes



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"alvega","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Alvega é uma freguesia portuguesa do concelho de Abrantes, com 56,44 km² de área e 1.729 habitantes (2001). Densidade: 30,6 hab/km².

A freguesia de Alvega localiza-se na extremidade oriental do concelho e tem como vizinhos os concelhos de Mação a norte, de Gavião a nordeste e a sueste, e de Ponte de Sor a sul e ainda as freguesias de São Facundo a sudoeste e da Concavada a oeste.

É a terceira freguesia do concelho em área, a décima em população e a 15ª em densidade demográfica.

História

Alvega tem uma história envolta em lendas. Conta-se, por exemplo, que a Buraca da Moura (fenda profunda que existe junto à EN 118) era o local onde estava escondida uma bela Moura, que saía de noite para cantar os seus tristes lamentos. Também se relata que nesse local foi extraído ouro pelos romanos e pelos árabes e que esse túnel servia para transportar água para fazer mover moinhos de rega.

Viriato

Após a segunda guerra púnica (218-201 a.C.), Roma dominava o Leste e o Sul da Península Ibérica. As zonas oeste e norte eram ainda dominadas por populações indígenas (iberos) e celtas. Uma federação de tribos lusitanas, que habitavam as regiões mais ocidentais, resistiu à penetração romana, sob a liderança brilhante de Viriato, de 147 a 139 a.C.

As batalhas entre tribos lusitanas e o império romano tiveram início cerca do ano 193 bC. Alguns supõem que Viriato, filho de Comínio, terá nascido na localidade de Aritius Vetium (actual Alvega), e que terá tido de algum modo acesso a vários aspectos culturais e experiências, para além das actividades de pastor de rebanhos e caçador, que lhe permitiram desenvolver a guerra de guerrilha, com estratégias e tácticas sofisticadas, chegando mais tarde a dialogar positivamente com os representantes de Roma, e alcançando inclusivé a designação de "Amicus Populi Romani", ou seja, aliado em paz com Roma.

Tradições

É uma freguesia que mantém algumas das suas tradições, como é o exemplo de grupos que se reúnem, no dia 6 de Janeiro, para cantar as "Janeiras". No Carnaval ocorrem as "caqueiradas", que se resume em atirar pratos e bilhas partidas para dentro das casas quando as janelas estão abertas. Ainda nesta quadra, nas duas quintas-feiras que antecedem o Carnaval, há o hábito de "chocalhar" os compadres e comadres. São levados chocalhos e outros objectos que produzam sons fortes junto das portas. Na primeira semana acontece nas portas das raparigas solteiras, ficando a segunda semana para a porta dos rapazes solteiros. Na Páscoa, as comadres oferecem aos compadres um bolo da sua autoria e, em troca, os compadres oferecem prendas e/ou amêndoas.

Gastronomia

Sável assado na telha, fataça ou tainha assada na telha, lampreia, semineta (prato confeccionado com fígado), borrego à lampreia, sopa de peixe, couves com feijão, bacalhau assado e açorda de sável, arroz doce, amassados, pão de ló.

Património

Solar de Alvega está localizado na aldeia de Alvega, está edificado num antigo palácio senhorial, que foi reaproveitado para turismo de habitação. O edifício foi mandado construir pelo Conde Caldeira de Mendanha, no século XVII, amigo e rival do Marquês de Pombal.

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Alvega","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.