Assumar

Assumar
Monforte



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"assumar","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Assumar é uma freguesia portuguesa do concelho de Monforte, com 63,68 km² de área e 687 habitantes (2001). Densidade: 10,8 hab/km².

Assumar localiza-se em pleno norte alentejano e dista cerca de vinte e três quilómetros da sede do distrito, Portalegre, e doze quilómetros da sede concelhia. Esta é a mesma distância que separa a freguesia do concelho vizinho de Arronches.

História

O território da actual freguesia de Assumar foi habitado desde épocas pré-históricas, como se atesta pelos testemunhos líticos que se encontram, principalmente, na área do Monte Velho e da Ribeira do Freixo. Posteriormente, aqui viveram os romanos, verificando-se, na altura, um assinalável progresso em toda a zona de Monforte. É provável que no período romano, Assumar se tenha designado Ad-Septem-Arae ou Septem-Arae, constituindo uma pequena estação, situada nas proximidades da via imperial romana que ligava Olisipo (Lisboa) à capital da Emérita Augusta (Mérida), designada também por "Via Latina".

Esta região foi conquistada por D. Afonso Henriques aos muçulmanos, mas voltou a cair na posse destes, sendo definitivamente recuperada, alguns anos depois, por D.Sancho I. No ano de 1226, Assumar já possuía termo próprio, figurando como limite no Foral de Marvão. Em 1262, D. Afonso III concedeu o padroado da Igreja de Santa Maria de Assumar e de Arronches aos frades do Convento de Santa Cruz de Coimbra. Em 1298 terá recebido carta de foral de D. Dinis

A povoação cresceu de tal forma que, em 1314, D. Dinis concedeu liberdade aos moradores e habitantes da vila, desanexando-os do termo de Monforte. Perante este crescimento, houve a necessidade de defender a população e foi com este objectivo que D. Afonso IV, em 1332, mandou edificar uma pequena fortaleza amuralhada, envolvendo toda a população e respectiva paróquia. Desta muralha apenas subsistiu uma inscrição e um pano de muralha. Em 1365, D. Pedro concedeu amplos privilégios aos moradores desta vila e termo de Assumar, os quais foram sucessivamente confirmados pelos Reis portugueses até ao século XIX. Em 1380, a Vila de Assumar ficou fortemente marcada pela romagem de D. Nuno Álvares Pereira à igreja de Nossa Senhora dos Milagres do Assumar, após a vitória dos Atoleiros, em 1385, onde derrotou as forças castelhanas. Segundo as crónicas históricas, D. Nuno Álvares terá expulsado os castelhanos do interior da igreja. Como forma de agradecimento, em 1427, D. João I doou-lhe a posse da Vila de Assumar.

Em finais do século XV, D.João II concedeu doações a Gonçalo Alvarez: em 1482, a alcaidaria da Vila e Castelo de Assumar e, em 1486, a posse do reguengo e da portagem da Vila. Assumar recebeu, a 29 de Março de 1511, a carta de foral manuelina, estando então incluída no termo e Vila de Portalegre. Em meados do século XVI, mais concretamente em 1552, D.João II confirmou a posse da Vila de Assumar ao Duque de Bragança D. Teodósio II. Durante o domínio Filipino em Portugal, foi criado o titulo de Conde de Assumar, associado a duas grandes casas senhoriais portuguesas, os Ferreira e os Almeida. Depois de ter sido interrompida durante um curto período, a atribuição deste título honorífico foi reiniciada pela Casa dos Almeidas de Portugal, ligando-o a feitos militares, especialmente à Expansão Portuguesa no Oceano Indico. Dos diversos detentores deste titulo destacam-se D.Pedro de Almeida (1630-1679), I Conde de Assumar; D.João de Almeida Portugal (1663-1733), II Conde de Assumar; D. Pedro Miguel de Almeida Portugal (1668-1756), III Conde de Assumar e I Marquês Alorna; D. João de Almeida Portugal ( 1727-1802), IV Conde de Assumar e II Marquês de Alorna; D.Alorna; D.Pedro José de Almeida Portugal (1754-1813), V Conde de Assumar e III Marquês de Alorna; D. João de Almeida Portugal VI Conde de Assumar; D. Miguel de Almeida Portugal, VII Conde de Assumar; e D. Leonor de Almeida, VIII Condessa de Assumar e IV Marquesa de Alorna.

Em 1836, por alutra da reforma administrativa de Mouzinho da Silveira, o concelho de Assumar, cuja existência datava de finais do seculo XIII, foi extinto e a freguesia de Assumar passou a pertencer ao concelho de Monforte. Entre 1892 e 1898, a pedido dos seus habitantes, a freguesia de Assumar transitou para o concelho de Arronches. Finalmente em 1898, a freguesia de Assumar foi integrada no "renovado" concelho de Monforte.

Heráldica

O brasão da freguesia de Assumar apresenta a seguinte ordenação heráldica: " Escudo de ouro, cruz de vermelho florida e vazia de prata; em chefe, duas buzinas de negro, embocadas e viroladas de azul e cordoadas de vermelho, a da dextra volvida; em porta de ramo de oliveira, de verde, frutado de negro. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com a legenda a negro "ASSUMAR".

Património

A freguesia de Assumar é detentora de um interessante património arquitectónico, do qual se destaca:

Igreja Paroquial de Assumar

A Igreja Paroquial de Assumar é composta por três naves, separadas por três arcos ogivais, e três altares. Na capela-mor figuram diversas imagens sagradas, nomeadamente Jesus Crucificado, Nossa Senhora de Fátima e o Sagrado Coração de Jesus. Um dos elementos arquitectónicos de maior relevância é o portal gótico em forma de ogiva. Na sua parede exterior encontra-se ainda incrustada uma réplica da espada de D. Nuno Álvares Pereira.

Via Romana

A Via Romana é um dos vestígios que comprovam a antiguidade do povoamento desta região. Está acessível pela Estrada Municipal 371 Assumar - Arronches.

Relógio de Sol

O Relógio de Sol situa-se na Rua Direita, na freguesia de Assumar.

Portas Góticas

Nas habitações da Rua Direita, em Assumar, ainda é possível observarem-se interessantes portas góticas, que têm resistido à passagem do tempo.

Casa Senhorial

Na Avenida 5 de Outubro ou Rua da Carreira pode ser apreciada uma casa senhorial, provavelmente do século XIX.

Fonte do Século XIX

Fica no local da Fonte da Vila, acessível pelo Caminho Municipal 1099 Assumar - IP2, esta fonte foi aqui construída no ano de 1826

Cruzeiro

O Cruzeiro da freguesia de Assumar encontra-se no Largo da Igreja.

Tradições

As festas e romarias da freguesia de Assumar são constituídas por agradáveis momentos de alegria e confraternização, além de funcionarem como um importante meio de preservação e divulgação de determinadas tradições. Todos os anos, aqui se realiza a Festa em honra de Nossa Senhora dos Milagres, com inicio no primeiro Domingo de Setembro e prolongando-se, normalmente, até quarta-feira. É uma das maiores festas do distrito de Portalegre, famosa pelas suas largadas de toiros pelas ruas da vila.

Além das tradicionais touradas à vara larga e das já referidas largadas de touros pelas ruas da freguesia, o programa é composto pelos tradicionais arraiais nocturnos, com bailes e no Domingo a Procissão em honra de Nossa Senhora dos Milagres, que percorre as principais ruas da freguesia de Assumar, assim como outras actividades de carácter cultural e desportivo.

Além desta grandiosa festa, os habitantes da freguesia de Assumar contam ainda com uma feira anual, no dia 13 de Junho, que se realiza desde o ano de 1816, tendo sido instituída por D.João VI.

O orago da freguesia de Assumar é Nossa Senhora da Graça, cuja festa se celebra no primeiro Domingo de Setembro.

Desenvolvimento económico

Na freguesia de Assumar, são os sectores primário e terciário que se apresentam como as maiores fontes empregadoras de mão de obra. No sector primário, os cereais, nomeadamente as culturas de sequeiro, como o trigo, a cevada e a aveia, constituem a principal cultura desenvolvida nas explorações latifundiárias existentes na freguesia. Em muito menor escala produz-se azeitona. Neste mesmo sector, há que destacar a pecuária, com a criação de gado bovino de raça alentejana e o gado ovino.

O sector terciário está presente nesta freguesia, com agentes económicos que prestam serviços na área da restauração (três cafés-restaurantes e um café) e do comércio (dois mini-mercados, três mercearias e uma padaria). Este sector envolve ainda a prestação de serviços, representada por três instituições de solidariedade social, uma que presta apoio a crianças do sexo feminino com deficiências mentais e duas de apoio a idosos carenciados.

Artesanato

Na freguesia de Assumar ainda existem habitantes que se dedicam á manufactura de diversos trabalhos artesanais, representativos da região. Estes artesãos, trabalham fundamentalmente a cortiça e a madeira, criando objectos ligados ao quotidiano do trabalho agrícola e da pecuária.

Colectividades

O associativismo da freguesia de Assumar encontra-se representado por três colectividades, que desenvolvem actividades em diversas áreas:

Sporting Clube Assumarense

O Sporting Clube Assumarense foi fundado em 26 de Julho de 1926, tendo como objectivo principal a promoção e dinamização da práctica desportiva. Actualmente conta com cerca de trezentos e sessenta sócios.

Associação de Caçadores do Assumar

Esta colectividade, fundada em Junho de 1999, tem por actividade principal a caça. São vinte os sócios inscritos na Associação de Caçadores do Assumar.

Associação de Criadores de Bovinos de Raça Alentejana

Fundada em 16 de Outubro de 1981, esta colectividade promove, como o próprio nome indica, a criação de bovinos de raça alentejana. Tem, actualmente, cerca de 120 sócios.

Ligações exteriores

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, we couldn't find any images attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Assumar","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.