Cabanas de Viriato

Cabanas de Viriato
Carregal do Sal



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"cabanas-de-viriato","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Cabanas de Viriato é uma freguesia portuguesa do concelho de Carregal do Sal, com 21,94 km² de área e 1.698 habitantes (2001). Densidade: 77,4 hab/km².

Uma das mais típicas vilas do país, esta povoação reclama para si a natalidade de Viriato, chefe dos Lusitanos que, ao que se diz, aqui se abrigou das agruras da Serra da Estrela e das perseguições dos romanos. Na povoação são visíveis vestígios de velhas casas solarengas, mas a que desperta mais curiosidade é a habitação onde viveu Aristides de Sousa Mendes, herói dos tempos do holocausto, nascido e falecido nesta localidade.

Localidades

Esta freguesia é constituída por um conjunto de vários núcleos ou pequenos povos. Nos últimos anos surgiram novos arruamentos e urbanizações, tornando assim notório o seu real desenvolvimento.

  • Aido
  • Casaínhos
  • Cerca
  • Cerejeirinha
  • Fundo de Vila
  • Laceiras
  • Outeiro de Baixo
  • Outeiro de Cima
  • Pedrógão

História

É uma povoação muito antiga, que pertenceu ao extinto concelho de Oliveira do Conde. Apesar de não se conhecer muito sobre a sua história antiga, existem documentos que a ela fazem referência no ano de 1289. São Cristóvão é, desde longa data, o padroeiro da Paróquia. Sabe-se que da Igreja de São Cristóvão de Cabanas tomou posse, em 1524, D. Luís da Silveira, 1º Conde de Sortelha, e D. Diogo da Silveira, seu filho, 2º Conde, em 1558. Em 1649 tomou posse das rendas e padroado de Cabanas o 2º Conde de Figueiró, D. Pedro de Lancastre, em nome de seu filho D. José Luís de Lancastre, por morte da mãe.

Festas e romarias

Como todo o concelho em geral, Cabanas é terra de gente alegre e foliona, sendo de realçar o seu animado e concorrido Carnaval de velhas tradições, cartaz genuíno e muito conhecido pela sua «Dança Grande» ou «Dança dos Cus».

Património

Cabanas tem dois cruzeiros com interesse e várias sepulturas pré-romanas abertas nos rochedos, sendo de assinalar num só local, a Soila, quatro sepulturas juntas e outra a escassos metros. Constitui motivo de interesse a conhecida Lapa da Moura, que é formada por um penedo sobre o outro, prodigiosamente equilibrado, dando a ideia de cavalete ou bigorna.

Tem Cabanas um imponente monumento a Cristo-Rei, que foi trazido da Bélgica, em blocos, pelo então cônsul de Portugal naquele país, Dr. Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches, homem de rara sensibilidade artística, bem vincada na sua antiga moradia e quinta de São Cristóvão, onde hoje, em local urbanizado e aprazível, constituindo um belo miradouro, foi implantado o referido monumento.

A atestar de Cabanas, o seu passado distante, ainda hoje se pode examinar o antigo casario de alguns dos seus povos e várias casas solarengas ou abrasonadas, como a que foi, e hoje reconstruída, do famigerado Administrador do Concelho (1850-1855) António Soares de Albergaria, com capela privativa, a Casa Alarcão, também com capela privativa, restaurada há poucos anos, a casa dos Viscondes de Midões, Ribeiros Abranches, Senhores da Várzea, restaurada, restando da traça antiga a cozinha com sua imponente chaminé, estilo Renascença, artisticamente lavrada e com a bonita capela devotada a Santa Eufémia, tendo na fachada o brasão dos Viscondes e hoje pertença de um particular, a casa dos Bernardes de Miranda, tipo abrasonado, com a capela do Casa, datada de 1726, a casa com brasão dos Silvérios Lobo, com interessante e antiga Capela da Senhora do Amparo, que foi do Morgado de Fróis, havendo ainda pela sua vetustez (construção do século XVI) a casa dos Teles do vale e a bonita vivenda dos Teixeiras de Abreu.

Personalidades

  • Aristides de Sousa Mendes, o famoso diplomata português, cônsul em Bordéus em 1940, que salvou a vida a dezenas de milhar de pessoas é sem dúvida uma das figuras mais dignas que nasceram em Cabanas de Viriato. O Dr. Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches, desobedecendo por razões de consciência às ordens do governo de Salazar, em 1940, concedeu vistos a milhares de Judeus que fugiram da França, para escaparem às perseguições nazis, salvando-os assim do holocausto, o que lhe valeu a expulsão da carreira diplomática e a impossibilidade de exercer a advocacia, caindo gradualmente na miséria.

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Cabanas de Viriato","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.