Carregal do Sal

Carregal do Sal
Sub-região Dão-Lafões



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"carregal-do-sal","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}

Foto de Vítor Oliveira

Lista de Municípios Portugueses

anuncio100x60.png


Carregal do Sal é uma vila portuguesa no Distrito de Viseu, região Centro e sub-região Dão-Lafões, com cerca de 5.600 habitantes.

É sede de um município com 113,80 km² de área e 10.635 habitantes (2006), subdividido em 7 freguesias. O município é limitado a Nordeste pelo Município de Nelas, a Sueste por Oliveira do Hospital e por Tábua, a Oeste por Santa Comba Dão, a Noroeste por Tondela e a Norte por Viseu.

Fica situado num amplo maciço antigo do Planalto Beirão, na denominada plataforma do Mondego, entre as Serras da Estrela e do Caramulo, tendo como fronteiras naturais, a Norte, o Rio Dão e, a Sul, o Mondego. Orograficamente é um Concelho sem grandes elevações, salientando-se as suas vertentes suaves para os vales daqueles importantes recursos fluviais, nas quais predominam as densas manchas graníticas características desta região.

Freguesias

História

Este município foi criado em 1836, por extinção dos concelhos de Currelos e de Oliveira do Conde.

Carregal era o nome de um antigo lugar do concelho de Currelos. O topónimo derivou de uma planta ciperácea denominada de "cárrega", ao tempo muito abundante na região, tendo mais tarde sido acrescentado "sal" devido à grande quantidade de cloreto de sódio que era armazenado em tulhas de madeira num local ainda hoje designado de Salinas. O seu transporte era feito em carros de bois para este local desde o porto fluvial da Foz-Dão.

As grandes salinas foram mandadas fazer por Francisco Lucas de Melo Pais do Amaral (7 de Maio de 1752 – 6 de Abril de 1819), da Casa de Santar (Melo Pais do Amaral, depois condes de Santar). Aproveitando a situação do lugar junto à estrada que então era a grande via de comunicação entre os distritos de Viseu e Coimbra, Francisco Lucas de Melo Pais do Amaral mandou instalar em terrenos que aí tinha herdado umas grandes salinas, que abasteciam toda a região. Este negócio, que se manteve propriedade dos seus descendentes (Soares de Albergaria Pais e Melo) durante quase 200 anos, consistia em mandar vir o sal da Figueira da Foz, em barcos, pelos rio Mondego e rio Dão, até Carregal, onde ficava em grandes depósitos, no lugar que por isso se chamou de Salinas, nos limites da povoação, onde Francisco Lucas de Melo Pais do Amaral mandou, aliás, erguer a casa do mesmo nome, hoje o Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria.

Economia

A agricultura foi, desde sempre, um meio de sobrevivência por excelência, mas a evolução dos tempos e os desafios do dia a dia remeteram para segundo plano este tipo de actividade que é ainda o meio de subsistência mas da população com mais de cinquenta anos. Apenas dois produtos assumem, ainda hoje, uma significativa importância: o azeite e o famoso Vinho do Dão, de relevo no núcleo da Zona Demarcada onde se situa.

Património

Mercê das suas características geomorfológicas e climatéricas, o Concelho ostenta um vastíssimo e diversificado património paisagístico, arquitectónico e arqueológico que o caracteriza como um Município rico em testemunhos do passado e como um local dignamente expressivo que vale a pena visitar. De entre esse vasto património não pode deixar de ser destacado o túmulo do Cavaleiro Fernão Gomes de Góis, obra-prima do Renascimento, que pode ser visitado na Igreja Matriz de Oliveira do Conde e o Dólmen da Orca, considerado dos monumentos megalíticos melhor conservados desta região, ambos classificados como Monumentos Nacionais.

Por outro lado, o seu património arquitectónico está bem espelhado através dos seus imponentes solares e casas solarengas dispersas pelas suas freguesias de génese medieval, onde são bem patentes as características construções em granito desta região beirã. Contudo, se não forem estes os motivos para uma visita, outros os justificarão plenamente lembrando que foi em Cabanas de Viriato que residiu Aristides de Sousa Mendes, o Cônsul Português em Bordéus que, por ocasião do Holocausto nazi arriscou a própria vida ao passar inúmeros vistos, salvando a vida a milhares de judeus.

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, we couldn't find any images attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Carregal do Sal","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.