Constância

Constância
Sub-região Médio Tejo



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"constancia","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}

Foto de Vítor Oliveira

Lista de Municípios Portugueses

anuncio100x60.png


Constância é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Santarém, região Centro e sub-região Médio Tejo, com cerca de 900 habitantes. Pertencia ainda à antiga província do Ribatejo, hoje porém sem qualquer significado político-administrativo.

O nome de Constância só foi adquirido oficialmente em 1833, por intermédio da rainha D. Maria II que lhe deu o nome devido ao apoio que a população lhe tinha dado e a sua insistência para mudar o seu antigo nome de Punhete que não gostava.

É sede de um pequeno município com 80,04 km² de área e 3.793 habitantes (2006), subdividido em 3 freguesias. O município é limitado a norte, leste e sul pelo município de Abrantes e a oeste por Vila Nova da Barquinha e pela Chamusca.

Freguesias

História

No encontro do Zêzere com o Tejo nasceu a antiga Punhete, terra cuja História está intimamente ligada aos rios e às actividades que eles proporcionavam: o transporte fluvial, a construção e a reparação naval, a travessia e a pesca. D. Sebastião elevou-a a vila e criou o Concelho, em 1571, reconhecendo o desenvolvimento que já então alcançara. D. Maria II, em 1836, mudou-lhe o nome para Constância, em atenção à constância que os seus habitantes demonstraram no apoio à causa liberal.

Terra de sedução e de poesia, diz a tradição que acolheu Luís de Camões por algum tempo, e a memória do Épico faz parte da alma da vila. A chegada do caminho-de-ferro, no século XIX, e do transporte rodoviário, em meados do século XX, a par da construção das barragens, provocaram a decadência das actividades tradicionais e a vila teve de mudar de vida, virando-se para o aproveitamento turístico das suas belezas, do encanto das suas paisagens e da tranquilidade dos seus rios. Dos tempos antigos guarda a memória dos marítimos e da sua faina, através da Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem, um dos maiores acontecimentos do seu género em Portugal.

O Concelho integra também as freguesias de Montalvo e de Santa Margarida da Coutada, uma de cada lado do Tejo. Em Montalvo, que ainda preserva muito do seu carácter rural, numa paisagem de quintas, hortas e olivais, está em plena actividade uma Zona Industrial que cria postos de trabalho e fixa população. Santa Margarida, que acolhe a maior concentração militar do nosso país, é uma freguesia predominantemente ocupada por floresta, onde se encontra instalado o Parque Ambiental que proporciona excelentes condições para actividades de lazer, de ar livre e de conhecimento da natureza.

Bem servido de acessibilidades, através do caminho-de-ferro do Leste e da A23, e situado numa zona muito central do país, o Concelho de Constância é um pequeno município que guarda grandes riquezas do Passado e encara com optimismo o seu Futuro, assente na diversidade dos seus recursos e na complementaridade do trabalho da sua população.1

Heráldica

Armas

De azul, com uma oliveira de ouro, sustida, arrancada e frutada do mesmo, acompanhada de duas romãs de ouro, sustidas e folhadas do mesmo e abertas de vermelho. No contra chefe, três faixas, duas de prata e uma de azul, apontando ao pé do escudo. A faixa azul carregada de três peixes, de prata. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres «Notável Vila de Constância», de negro.

Bandeira

Esquartelada de amarelo e de vermelho. Cordões e borlas de ouro e de vermelho. Haste e lança douradas.

Selo

Circular, tendo ao centro as peças das armas, sem indicação dos esmaltes. Em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres «Câmara Municipal de Constância».

Festas, Feiras e Romarias

  • Festa de Nossa Senhora da Assunção
  • Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem
  • Festa de Santa Margarida
  • Festas do Concelho
  • Grande Prémio da Páscoa em Atletismo
  • Pomonas Camonianas

Artesanato

Terra profundamente ligada aos rios e ao transporte fluvial, Constância vê nas miniaturas de barcos a memória do tempo dos seus varinos. Desse tempo vêm também as bonequinhas que as mulheres dos marítimos confeccionavam, aproveitando o tempo e restos de tecido, para depois venderem e minorarem as suas carências.

Nas margens dos rios e dos ribeiros crescem espontaneamente os vimes e as vergas de carvalho negral com que se faz a cestaria de Constância, e uma variedade de peças que continuam a ser úteis e são sobretudo belas.

  • Bonequinhas
  • Cestaria
  • Mel de Constância
  • Miniaturas de Barcos

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Const\u00e2ncia","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.