Elvas

Elvas
Sub-região Alto Alentejo



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"elvas","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}

Foto de Vítor Oliveira

Lista de Municípios Portugueses

anuncio100x60.png


Elvas é uma cidade portuguesa no Distrito de Portalegre, região Alentejo e sub-região Alto Alentejo, com cerca de 15.500 habitantes.

É sede de um município com 631,04 km² de área e 22.477 habitantes (2006), subdividido em 11 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Arronches, a nordeste por Campo Maior, a sueste pelos municípios de Badajoz e de Olivença, a sul pelo Alandroal e por Vila Viçosa e a oeste por Borba e por Monforte.

Às portas de Espanha, distando a apenas 15 quilómetros de Badajoz, Elvas é a mais importante praça-forte da fronteira portuguesa, tendo sido por isso cognominada "Rainha da Fronteira".

Freguesia

As freguesias de Elvas são as seguintes:

Aqueduto da Amoreira - Elvas (foto de Paulo Bica)
Aqueduto da Amoreira - Elvas (foto de Paulo Bica)

História

Fundação

A sua fundação perde-se na bruma dos séculos. Do que não restam dúvidas é da sua origem ser remotíssima, pois os cartagineses, os romanos, os Alanos, os Suévos e os mouros, quando vieram à península, já tinham notícia desta povoação. Os Helvios, povo da Gália Céltica, anteriores aos primeiros citados, atraídos pelo ameníssimo clima da Lusitânia, tê-la-iam habitado cerca de 1000 (mil) anos Antes de Cristo.

Os Romanos deram-lhe o nome “Helvas” e por cá andaram até ao ano de 714, altura em que os Árabes a dominaram, deixando tantas marcas da sua presença, que algumas ainda perduram até aos nossos dias.

Nacionalidade

No reinado de D. Afonso Henriques, mais precisamente em 1166, Elvas foi conquistada aos Mouros pela primeira vez; posteriormente foi reconquistada e perdida de novo, sendo integrada definitivamente em território português por D. Sancho II de Portugal, em 1229. O primeiro foral foi-lhe outorgado no mesmo ano, por D. Sancho II; teve um novo foral em 1513, concedido por D. Manuel I de Portugal, que marcou a elevação de Elvas à categoria de cidade.

A 14 de Janeiro de 1659, as suas linhas de muralhas e os fortes de Santa Luzia e da Graça tiveram um papel defensivo importante no desfecho da Guerra da Restauração, na Batalha das Linhas de Elvas.

Clima

Elvas não faz excepção em relação à monotonia das características alentejanas. Assim, o clima, de feição Mediterrânea, apresenta aqui uma secura estival acentuada e um Outono e Inverno pluviosos, mas, como é evidente, não tão pluviosos como em certas regiões do nosso país, de superior altitude ou mais próximas da influência Oceânica. Deste modo, os Verões apresentam temperaturas bastante elevadas chegando facilmente a atingir acima de 40ºC e em contrapartida, os Invernos são frios e com frequentes geadas, o que determina uma amplitude de variação térmica anual de cerca de 20°C.

Demografia

Estima-se um grande crescimento da população de 2004 para 2007, uma vez que o concelho teve uma grande entrada de emigrantes na cidade e nas freguesias, estima-se que o concelho de Elvas albergue cerca de 30.000 habitantes, dos quais cerca de 20.000 na cidade e os restantes espalhados pelas freguesias do concelho.

Economia

No concelho predominam as actividades ligadas ao sector terciário, seguidas pelas do secundário, com as indústrias de descasque de arroz, de conservas de tomate e das famosas azeitonas, e só depois pelas do primário.

Na agricultura destacam-se os cultivos de azeitona, cereais para grão, de prados temporários e culturas forrageiras, de culturas industriais, de pousio, de olival e de prados e pastagens permanentes. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de aves, ovinos e bovinos. Quase 18% (1588 ha) do seu território está coberto de floresta.

Recentemente, foi anunciada a construção da Plataforma logística de Elvas / Caia pelo Governo. Serão investidos 59 milhões de euros, 52 na plataforma e 7 em acessibilidades. A área disponível abrange 38 hectares, sendo que a área de expansão vai até aos 22 hectares. A plataforma vai incluir áreas logísticas multifunções, especializada e de transformação, terminal ferro-rodoviário e serviços de apoio a empresas e veículos. A plataforma do Caia visa alargar o hinterland dos portos de Lisboa, Setúbal e Sines e dinamizar a actividade económica da região do Alentejo através da captação de investimento português e espanhol para o interior alentejano e do incentivo à indústria local, facilitando a distribuição da sua produção nos mercados alvo.

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.


Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Elvas","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Adicionar um Novo Comentário
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.