Feira do Mont'Alto

Feira do Mont'Alto
Arganil

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"feira-do-mont-alto","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"arganil","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Segundo Amândio Galvão, a Festa e a Feira do Mont'Alto, juntamente com o próprio Mont'Alto, representam as três paixões a que o arganilense se mantém fiel ao longo de toda a vida. Em Arganil, a origem das tradicionais feiras remonta à época dos romanos em que o território da Península Ibérica foi dividido, a fim de que os seus invasores e ocupantes pudessem controlar a tributação a que obrigavam a população. Em termos administrativos, esta divisão mostrou ser positiva, pois embora com algumas alterações, chegou até nós sob a forma de divisão em freguesias.

Porém, acontece que após se fixarem e fazerem vida em determinado lugar, as várias comunidades ficavam praticamente isoladas umas das outras, sobrevivendo praticamente apenas com aquilo que conseguiam produzir. Todavia, sentiu-se a necessidade de trocar produtos e com o tempo começaram a aparecer em cada vila mercadorias transportadas por mercadores ambulantes. A certa altura as trocas deixaram de ser directas, e foi introduzido o dinheiro e, para conveniência de todos, combinaram-se ocasiões e lugares para encontro de vendedores e compradores.

Mas esta não foi a única consequência do isolamento, criaram-se também condições que propiciaram o desenvolvimento de sentimentos religiosos na alma das pessoas que se sentiam inseguras e precisavam de protecção. E, com efeito, a Igreja Romana difundiu e espalhou, pela Península Ibérica, a sua doutrina com elevada rapidez e quando os templos abertos ao culto passaram a ser especialmente dedicados à invocação de certa divindade, em princípio protectora dos habitantes de determinado local, cumpria homenageá-la de forma diferenciada todos os anos em determinado dia.

E a origem da festa e feira de Arganil em nada difere do que foi referido. Em 1114, quando a Sé de Coimbra decidiu promover o povoamento do território das terras de Arganil, mandou erigir um templo no local que hoje conhecemos como Ribeira de Folques. Tal como noutras freguesias, para além do templo principal surgiram outros secundários, um dos quais o que foi erguido no cimo do cerro hoje conhecido por Mont'Alto. Ora, é de presumir que a ideia de construir uma ermida dedicada à Virgem no topo deste monte tenha mobilizado o interesse dos primeiros povoadores da vila, pois assim sentir-se-iam mais seguros por imaginarem estar permanentemente sob o olhar protector da Senhora.

Lenda do Mont'Alto

Segundo a lenda do Mont'Alto, devido à dificuldade de construção no alto do monte, teriam tentado construir a ermida num monte mais baixo. Mas a Virgem não terá gostado da solução que estavam a querer dar ao seu caso e, num belo dia, para surpresa de todos, desapareceu e foi encontrada no cimo do monte onde inicialmente tinha sido encontrada. Perante a evidência do "desejo" da Virgem, a Igreja foi construída no cimo do monte apesar de todas as dificuldades.

Em a Corografia Portuguesa, pode ler-se que existia já em Arganil "uma ermida de Nossa Senhora do Mont'Alto (que) é imagem milagrosa (celebrando-se) sua festa a 8 de Setembro, em cujo dia há feira franca no terreiro dos Paços do Bispo". Assim, ficamos a saber que, no fim do século XVII começo do seguinte (data da redacção da Corografia Portuguesa), realizava-se simultaneamente a festa e a feira que ao longo dos anos passou de 2 para 3 dias.

Com o passar do tempo, os feirantes chegaram à conclusão de que não precisavam de subir o monte no dia da Festa para fazerem o seu negócio: bastava esperarem os romeiros no fundo da ladeira. Assim ter-se-á dado a separação da Festa e da Feira. Com o passar do tempo houve uma nova alteração como os romeiros eram cada vez mais, passaram a fazer a Feira no largo do Paço que era o melhor sitio para feirar, pois ficava perto do caminho para o monte.

Feira do Mont’Alto na actualidade

Em 2006, a Câmara Municipal, deliberou transferi-la para o Sub-Paço, junto à Ribeira de Folques, facto que em nada prejudicou o evento. Em 1873, a data da festa e da feira acabam também por se distanciar. Assim, em 1873, já a festa se realizava a 15 de Agosto e a Feira em Setembro, situação que, com ligeiras actualizações, chegou até nós.

Desde 1980 a Feira do Mont’Alto constitui o núcleo de apoio e estrutura a uma outra - conhecida por FICABEIRA, com características novas, âmbito geográfico mais vasto e maior duração, que pretende ser cada vez mais uma feira de amostras das actividades industriais, comerciais e agrícolas de toda a região Beira-Serrana.

A Festa do Mont'Alto tem também beneficiado de grandes melhoramentos que desde o século XIX tem sido feitos ao Santuário - construção de estrada, abastecimento de água, fornecimento de energia eléctrica, construção de esplanada, edificação de escadaria, embelezamento do local, etc.

Ligações externas

Artigos relacionados com Arganil

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Feira do Mont'Alto","order":"dateAddedDesc"}}

Fotografias da região

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Arganil, arganil feira feira-do-mont-alto festa, -Feira do Mont'Alto","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.