Macieira da Lixa

Macieira da Lixa
Lixa



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"macieira-da-lixa","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Macieira da Lixa é uma freguesia portuguesa do concelho de Felgueiras, com 5,12 km² de área e 2.065 habitantes (2001). Densidade: 403,3 hab/km² e integrada na cidade da Lixa.

História

Macieira da Lixa, conhecida de início como "Uilha Mazanaria", aparece documentada pela primeira vez em 1059, no inventário de Mumadona, em que se diz que fora pretença de D. Senhorinha, é mais tarde, em 2 de Junho de 1171, num documento de doação feito por Gonçalo Moniz ao Mosteiro de Caramos. Neste documento, Gonçalo Moniz sede a Mendo Pires e Lajo de Fromarigues, priores daquele mosteiro, a real jurisdição que ele tinha sobre a igreja desta freguesia. Assim o Mosteiro de Caramos logrou obter a padroado desta freguesia. Tendo os anteriores padroeiros, a categoria de "milites" e sendo compadroeiros das vizinhas freguesias de Moreiro do Castelo, de Borba de Godim, Fervença e Telões, segundo as Inquirições Gerais de 1258, também se depreende que foi tomada de presúrio pelos avós daquele Gonçalo Moniz, o que aliás, é reforçado pelo facto de a igreja desta freguesia pagar votos a Santiago de Compostela

Na necrópole de Seixoso existiu uma capela de evocação a São Domingos. Macieira foi escolhida desde cedo para a fixação dos primeiros habitantes. A própria toponímia regista o lugar de Cristelo - aí existiu por certo uma povoação castreja. Também no lugar de Veigas, apareceram algumas sepulturas com os respectivos vasos votivos. Junto a essas sepulturas, foram encontradas ruínas desse antigo povoamento, como foi o caso de telhas e muita cerâmica. Macieira da Lixa era pretença de Celorico de Basto e em 1842 passou para o Concelho de Amarante, sendo integrado no Concelho de Felgueiras em 31 de Dezembro de 1853 a contragosto dos seus habitantes.

Terra de muita fama devido à produção de maçãs (daí o topónimo), foi uma das terras que levou os Romanos a sedentarizar-se na região. Por tudo isto, honra-se de produzir o famoso "Vinho Verde" e contribuir para o sucesso da casta "Azal da Lixa". Produz ainda os não menos famosos "Bordados artesanais da Lixa". Com o Marão e o Alvão tão perto e tão longe. Com uma Zona Industrial em franco progresso do lado Este e o Monte do seixo de Oeste com a suas famosas "estância" da família Dr. Cerqueira Magro, Macieira da Lixa tem ainda a protecção de Santa Quitéria a Norte, a Sul a Senhora das Vitórias e no seu seio de Santa Leocádia e São Roque.

Associações

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, we couldn't find any images attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Macieira da Lixa","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

  • Lixa - Artigo raiz

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.