Muge

Muge
Salvaterra de Magos



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"muge","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Muge é uma freguesia portuguesa do concelho de Salvaterra de Magos, com 52,03 km² de área e 1.261 habitantes (2001). Densidade: 24,2 hab/km².

História

Ao falar-se em Muge, o primeiro aspecto a reter deste vila prende-se com o seu riquíssimo passado arqueológico, nomeadamente com os concheiros de Muge. O valor arqueológico desta vila não se resume somente ao período mesolítico. Dessa época, foram descobertos nos anos 60 do século passado alguns concheiros e esqueletos humanos. Nas proximidades da ribeira de Muge, foram localizadas estações paleolíticas nos sítios de Arneiro dos Moinhos, Pinhal do Coelheiro. Sobral de Martim Fonço, Arneiro de Boa Vista, Glória, Ponte do Coelheiro, João Boieiro, Cacharinho, Porto Sabugueiro, Cabeça de Arruda, Casalinho, Arneiro dos Pescadores, Cabeço da Mina, entre outras. Nestas estações, foi colhido um material que, entre nós, é característico dos terraços. As peças são quase exclusivamente trabalhadas em calhaus rolados de quartzite, com um elevado número de exemplares bifaces ou unifaces.

Outros períodos históricos estão bem presentes, como é o caso do período romano, que fez sentir a sua influência nomeadamente no local do Porto de Sabugueiro, onde se regista uma ocupação humana que vai do século I a. C. ao século V d. C. Diversos fragmentos cerâmicos de cronologia antiga surgiram também no Porto de Sabugueiro, permitiram datar da segunda metade do século I a. C. o início das actividades agrícolas na freguesia.

Durante a Idade Média, D. Dinis outorga-lhe Foral em 1304, com o intuito de facilitar o povoamento nesta região. No séc. XV, um acontecimento irá marcar a Vila e o Reino em geral: foi no Paço de Muge que o Rei D. Manuel em 1496 decretou o édito de expulsão das minorias judaicas e muçulmanas.

Foram Senhores de Muge os Duques de Cadaval, que aqui construíram o seu Palácio. A Casa Cadaval foi uma das instituições mais poderosas do período pós-restauração, sendo detentora de uma enorme percentagem de terrenos em Muge. Esta Casa imprimiu um cariz agrícola à vila. O seu palácio, que ainda se pode encontrar em Muge, apresenta actualmente poucos vestígios da fisionomia antiga, a não ser na fachada, já que sofreu obras de restauro neste século. Junto à casa, a capela consagrada a Nossa Senhora da Glória, cuja imagem se vê num registo de azulejos de moldura azul sobre esmalte branco, oitocentistas.

A grande importância que Muge deteve ao longo dos séculos foi-se esfumando com a aproximação da época contemporânea. Em 1755, pertencia à comarca de Santarém, em 1852 à de Benavente.

Em 1837, por decreto de D. Maria II, foi extinto o concelho de Muge e criada a Junta de Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Muge, que por sua vez, foi incorporado no concelho de Salvaterra de Magos. Em tempos conhecida como Muja e também Porto de Mugem, devido aos “muitos peixes d’este nome que se pescavam em frente da Villa” (Pinho Leal), Muge perdeu o populoso local de Marinhais em 1928, que formou freguesia própria. Perdeu também grande número de habitantes, que em 1950 era de perto de cinco mil e hoje se cifra em cerca de dois milhares.

Desta freguesia se desmembraram as de Marinhais, em 1928, de Glória do Ribatejo, em 1966, e de Granho em 1988.

Heráldica

Ordenação heráldica do brasão e bandeira publicada no Diário da República III Série de 27/02/2002.

Armas

Escudo de escudo de azul, dois montes de conchas de ouro, postas um, dois, três e quatro, realçadas de negro e um cachos e uvas de ouro, folhado de prata; campanha de três burelas ondadas de prata e azul, a do meio carregada de dois peixes nadantes, de ouro. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro: "MUGE".

Bandeira

Esquartelada de branco e azul, cordões e borlas de prata e azul. Haste e lança de ouro.

Património

  • Concheiros de Muge

Colectividades

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Muge","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.