Ourique (freguesia)

Ourique (freguesia)
Ourique



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"ourique-freguesia","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Ourique é uma freguesia portuguesa do concelho de Ourique, com 249,54 km² de área e 3.041 habitantes (2001). Densidade: 12,2 hab/km².

A vila de Ourique situa-se no cimo de uma elevação. Com foral desde 1290, dado por D. Dinis, o seu orago é São Salvador.

Património

Na freguesia de Ourique muitos são os pontos de interesse e que merecem uma visita atenta por parte dos visitantes. Começando pelo miradouro de Ourique, onde se encontra a estátua de D. Afonso Henriques, poderá apreciar-se uma belíssima paisagem da vila e dos campos circundantes, onde, segundo a lenda, aquele rei derrotou o rei mouro Esmar.

Também a Igreja de Nossa Senhora da Cola (com a sua romaria anual pelo dia 8 de Setembro) constitui um ponto de interesse, bem como o Castro da Cola e o seu Circuito Arqueológico. Para melhores esclarecimentos, está aberto todos os dias o Centro Arqueológico do Castro da Cola. Para o visitar deverá sair de Ourique, tomar a direcção do Algarve pela IC1 e, depois de passar pela Aldeia de Palheiros, virar à direita conforme indica a placa informativa.

Na vila de Ourique, a Igreja de Santa Maria merece uma paragem, assim como a Igreja de São Salvador.

Castelo de Ourique

Reedificado no século XII/XIV por ordem de D. Dinis, possivelmente sobre um antigo castro romanizado e depois ocupado pelos árabes.
O castelo pertencia à Ordem de São Tiago e os seus vestígios implantam-se numa plataforma no cimo de um monte que domina a vasta planície do Campo de Ourique. Do castelo restam alguns troços com cerca de dois metros de altura, sobre os quais se construiu um Miradouro e jardim com um reservatório de água ao centro.

Igreja Matriz de Ourique

A Igreja Matriz de Ourique foi reconstruída no século XVIII.

Igreja da Misericórdia

Construída no século XVI, possui um conjunto de portais de grande depuração classicizante, que denotam a poderosa influência da tratadística italiana. O portal localizado à esquerda apresenta verga recta adintelada assente em pilastras toscanas e é precedido por dois degraus.

O portal da direita evidencia a inscrição "TOS.OS OS O QvVERDES SE DE VIDE AS AGOAS P O HOI CHI MIDO" (“Todos os que houverdes sede vinde às águas”).

Torre do Relógio

Construída em meados do século XIX, esta torre sineira tem uma planta quadrangular, coberta por cúpula escalonada e bolbosa, rematada por um cata-vento de ferro com a forma de bandeira. É formada por dois pisos separados por cornija de argamassa e enquadrados por pilastras. O piso superior é rasgado por olhal em arco de volta perfeita. No alçado principal, rasga-se a porta de acesso. No piso superior, de frente para a Praça, destaca-se o mostrador quadrangular do relógio, de cantaria, com numeração árabe e ponteiros de metal.

Castro de Cola

Integra-se no parque arqueológico do Castro da Cola constituído por vários monumentos megalíticos, povoados calcolíticos e necrópoles das Idades do Bronze e do Ferro. Ocupa a crista de um monte, junto da Ribeira do Marchicão e do Rio Mira, e está próximo da Igreja de Nossa Senhora da Cola.

O circuito arqueológico desenvolve-se numa área de cerca de 15 Km, integrando 23 estações arqueológicas, do Neolítico à Idade Média, do qual se destacam o povoado calcolítico do Cortadouro, os monumentos megalíticos Fernão Vaz I e II e o Tholos da Nora Velha, as necrópoles do Porto de Lages, da Idade do Bronze, e do Pego da Sobreira e de Fernão Vaz, da Idade do Ferro.

Igreja de Nossa Senhora da Cola

Construída em inícios do século XVII, no século XVIII viu ser construído o retábulo do altar-mor e no século XIX foi ampliada com acrescento do nártex, torres sineiras e retábulos laterais. Singulariza-se pela sua escala e monumentalidade, dentro da tipologia habitual nos santuários de peregrinação do Alentejo. Apresenta uma planta longitudinal, enquadrada por duas torres sineiras, nave e capela-mor mais estreita, a que se adossa à esquerda a sacristia, uma dependência de acesso ao púlpito. No interior, arco triunfal de volta perfeita, com acesso por degrau, revestido por painéis de talha dourada e policromada, encimado pelas armas reais. A Capela-mor é coberta por abóbada de berço que arranca de cornija, sendo o retábulo-mor de talha dourada e policromada com tribuna e trono; o conjunto é enquadrado por duas colunas de cada lado, com dois painéis representando a "Anunciação " e a " Adoração dos Pastores ".
Este santuário foi desde muito cedo um dos lugares de peregrinação mais importantes do Baixo Alentejo. No início do século XVIII, temos a informação de que a sua Romaria era já a mais importante, sendo organizada pelos grandes proprietários da região.
Romaria anual a 8 de Setembro.

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Ourique (freguesia)","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.