Paialvo

Paialvo
Tomar



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"paialvo","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


O Paialvo é uma freguesia portuguesa do concelho de Tomar, com 22,26 km² de área, 2.850 habitantes (2001) e com uma densidade populacional de 128,0 hab/km². Fica situada no extremo oeste do concelho, delimitada pela freguesia de Madalena e Asseiceira.

A freguesia de Paialvo é constituída por treze lugares:

Foi vila e sede de concelho, constituído por uma freguesia, até 1836. Tinha, em 1801, 1.407 habitantes.

História

O nome de Paialvo veio do nome de Paio Alves, personagem histórica. Nesta região há vestígios de uma cidade chamada cidade Concórdia, cujos habitantes eram cristãos. A cidade foi quase destruída pelos Romanos.

Nossa Senhora da Conceição de Paialvo foi importante ao ponto de ter sido sede de um concelho de relativa nomeada. Desse poder municipal que a freguesia já teve, resta o pelourinho, imóvel de interesse público constituído por uma coluna de pedra que assenta sobre um escadeado de três degraus. Acima dos quatro ferros, ergue-se um corpo piramidal, coroado por uma bola. A coluna tem, a meio do fuste, um anel. A existência da cadeia municipal e a câmara concelhia revela-se ainda hoje através de alguns (poucos) vestígios.

A paróquia de Paialvo foi um priorado da apresentação real. Pertenceu ao arciprestado de Torres Novas, tal como a Asseiceira, até à extinção do Isento de Tomar. Foram seus donatários o primeiro e o segundo Conde de Linhares, de 1789, curiosamente o ano da eclosão da Revolução Francesa, até 1836, ano da grande reforma administrativa do País encetada por D. Maria II. Nesse ano, o concelho foi extinto e a freguesia anexada a Tomar definitivamente.

A igreja paroquial de Nossa Senhora da Conceição é outra das razões que nos permite discorrer sobre a história de Paialvo. É um templo que já tem mais de quatrocentos anos, embora já tenha sofrido modificações posteriores. A frontaria tem empena de bico, ladeada por uma torre sineira, com uma janela de coro e um óculo na parte superior. Ladeiam a porta dois nichos de pedra lavrada, com ornatos renascentistas de origem. Cada um abriga a sua imagem: de um lado, Nossa Senhora Mãe dos Homens; do outro, a Santíssima Trindade. São ambas de pedra e do mesmo período. Ainda na fachada, duas pilastras dão a ideia de não terem sido acabadas. Interiormente, na nave, há dois altares laterais, dois colaterais e o altar-mor. Têm todos retábulos com talha dourada oitocentista e um silhar de azulejos azuis e amarelos do tipo “padrão”, do século XVIII, que revestem também toda a capela-mor. O tecto da igreja ainda é o inicial, de esteira, pintado com motivos ornamentais.

As portas que dão passagem para as sacristias são em madeira, mas as vergas e as ombreiras são de cantaria lavrada. No altar colateral do lado da Epístola, está uma imagem de Santa Marta, escultura de madeira, pintada e estofada. Constitui um curioso exemplar de imaginária, é do século XVI e mede 0,685 metros.

A ermida de Santa Luzia, no lugar de Peralva, é um pequeno templo, com altar-mor e dois altares colaterais. Estes têm nos retábulos uma pintura a óleo sobre madeira, do século XVII, representando os quatro Evangelistas. Há nesta ermida uma escultura de São Brás, quinhentista, que mede 0,635 metros.

Actividades económicas

Agricultura, pecuária (Gado ovino e caprino), Avicultura, Suinicultura, transformação de mármores, fabrico de azulejos, lagares de azeite, construção civil, comércio e serviços.

Festas e Romarias

  • Festa da Padroeira (8 de Dezembro)
  • São Brás (primeira quinzena de Fevereiro)

Orago

Nossa Senhora da Conceição

Património

Património Religioso

Património Cultural e Edificado

Outros locais de interesse turístico

  • Aldeia de Paialvo e turismo rural

Gastronomia

  • Bacalhau assado na brasa com batata a murro

Artesanato

Olaria e fabrico de azulejos pintados à mão.

Colectividades

  • Sociedade Filarmónica Paialvense
  • Sociedade Recreativa Instrutiva e Desportiva Vilanovense
  • Centro Recreativo de Trabalhadores da Peralva
  • Associação Recreativa Cultural e de Melhoramentos "Estrela Azul" de Carrazede e Carrascal
  • Centro Recreativo Cultural e Desportivo do Rancho Folclórico da Peralva
  • Centro Cultural e Recreativo da Charneca da Peralva
  • Sociedade Recreativa e Cultural Curvaceirense
  • Rancho Folclórico das Curvaceiras
  • Associação Cultural e Recreativa "Os Bravos"

Heráldica

Escudo de vermelho, pelourinho de prata, entre duas palmas de ouro, postas em pala. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro: "PAIALVO".

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Paialvo","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.