Rabo de Peixe

Rabo de Peixe
Ribeira Grande



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"rabo-de-peixe","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Rabo de Peixe é uma vila e freguesia portuguesa do concelho da Ribeira Grande, com 16,98 km² de área e 7.407 habitantes (2001). Densidade: 436,2 hab/km². Foi elevada à categoria de vila a 25 de Abril de 2004.

Com uma área geográfica de 16,98 km², onde se inclui o lugar de Santana, a vila de Rabo de Peixe confronta com o Oceano Atlântico, a norte, com as freguesias das Calhetas e Pico da Pedra, a este, com a Ribeira Seca e Santa Bárbara, a oeste, e com o Livramento (Ponta Delgada) e Cabouco (Lagoa), a sul.

Vive essencialmente da pesca e da agricultura, havendo indústrias de construção civil e de transformação de peixe como principais empregadores.

Toponímia

Esta localidade é assim chamada devido à semelhança que uma das suas pontas de terra tem com uma cauda de peixe, ou como diz Gaspar Frutuoso (cronista açoriano, século XVI), por em tempos ali ter sido encontrado o rabo de um grande peixe desconhecido.

História

Não se sabendo ao certo a data ou como teria sido povoada esta localidade, aponta-se que por volta do século XV Rabo de Peixe, conjuntamente com a Ribeira Grande, constituía freguesia. A 25 de Abril de 2004, Rabo de Peixe foi elevada a vila, alcançando, assim, uma das suas maiores pretensões.

Como nota de curiosidade, registe-se que o lugar de Santana, extensa planície, foi transformado em campo de aviação militar durante a segunda guerra mundial (1939/45), passando, em 1946, para a aeronáutica civil com a instalação do primeiro aeroporto da ilha de São Miguel.

Cultura

Rabo de Peixe é uma vila com fortes raízes na tradição da Ilha de São Miguel, possui uma cultura assente nas suas Festas Tradicionais, no seu Folclore, na sua Música e no seu vasto Património Arquitectónico.

Festas religiosas

As festas religiosas são extremamente valorizadas pela população local, e representativas da cultura desta vila, atraindo inúmeros visitantes não resitentes na localidade. Estas iniciam-se logo no primeiro dia do ano, com a Festa do Senhor Bom Jesus, seu Santo Padroeiro. Tal como em toda a ilha de São Miguel, existe uma devoção especial pelo Divino Espírito Santo, sendo famosos os cortejos e carros alegóricos referentes a estas Festas. A Festa da Bandeiras é uma das mais expressivas manifestações destas comemorações. Esta celebração engloba duas formas, a Bandeira da Beneficência, ou as "Festas da Beneficência" e a Bandeira da Santíssima Trindade, designada pelo povo "Festas da Caridade". Acompanhando estas duas Bandeiras, ocorrem as fomosas "Despensas" e "Bailinhos", duas danças oriundas de Rabo de Peixe. São seis as coroações em Rabo de Peixe, a de São Sebastião, a de São João, a de São Pedro, a d'Os Inocentes, a da Santíssima Trindade e a do Rosário. Os impérios só terminam com as chaves de São Pedro que fecham as portas dos folguedos, até ao primeiro Domingo de Outubro, altura do começo da celebração das Festas de Nossa Senhora do Rosário. Essas têm o seu ponto forte no Domingo, com a realização da procissão. Na segunda-feira também se realiza uma procissão que percorre quase todas as ruas de Rabo de Peixe. Há quem diga que a procissão realizada no Domingo é a segunda maior, a seguir à procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em Ponta Delgada. Santa Cecília e nossa Senhora da Conceição, padroeiras, das duas filarmónicas de Rabo de Peixe, são outras das festividades desta vila. Ao longo de todo ano vão se realizando outras procissões, como a procissão de São Sebastião, realizada no penúltimo Domingo do mês de Janeiro, a do Senhor dos Passos (via sacra pública), realizada no terceiro Domingo anterior ao Domingo de Páscoa, a dos Ramos, realizada no Domingo anterior ao Domingo de Páscoa, a do Senhor Morto, realizada na Sexta-Feira Santa à noite, a do Senhor Ressuscitado, realizada no Domingo de Páscoa, a dos Enfermos, realizada no primeiro Domingo após a Páscoa e por fim a procissão de São Pedro Gonçalves, realizada no sexto Domingo a posterior ao Domingo de Páscoa.

Danças tradicionais

AS Festas alusivas ao Espírito Santo envolvemm algumas danças tradicionais, denominadas "Despensas", diferentes dos restantes "balhos" da ilha. Salientamos o Balho dos "Homens da Terra" e o Balho dos "Homens do Mar", dançados apenas por homens, ao som de castanholas que manejam durante a actuação. No entanto, ao longo da dança as mulheres podem entrar se assim o desejarem, mas, nunca iniciam este típico ritual lado a lado com os homens.

Bandas Filarmónicas

As duas Filarmónicas de Rabo de Peixe têm mais de um século de extistência. A Sociedade Filarmónica Lira do Norte (http://liradonorte.com.sapo.pt), fundada em 1867, cuja padroeira é Santa Cecília, e a Filarmónica Progresso do Norte, fundada em 1888 e tem como padroeira Nossa Senhora da Conceição. Todos os anos, participam nas procissões realizadas em Rabo de Peixe, mas também participam em várias procissões da ilha e até no estrangeiro.

Grupo Folclórico "A Gaivota"

O Grupo Folclórico "A Gaivota", fundado em 1996, da Casa do Povo de Rabo de Peixe, é um grupo que pretende preservar as tradições dos seus antepassados, como o modo como viviam seus avós, as suas cantigas, os seus vestuários e as suas danças. O grupo também actua pela ilha e também pelo estrangeiro.

Grupo de Cantares "Vozes do Mar do Norte"

Este grupo de cantares foi fundado em 2007. Possui 27 elementos, entre vozes, tocadores de viola da terra, acordeões, castanholas, ferrinhos, pandeiro e flautas. Tem como objectivo promover o gosto pelas melodias populares, muitas delas cantadas pelos seus avós e relembrar outras já esquecidas. O reportório do Vozes do Mar do Norte inclui temas de várias ilhas dos Açores, como Ilhas de Bruma, Chamateia, Velho Pezinho ou Vapor da Madrugada, bem como canções do continente português e da Madeira, e músicas recuperadas aos antigos espectáculos de variedades que se encenavam naquela Vila.

Outros

  • Cine Teatro Mira Mar
  • Grupo de Teatro "Cena J"

Património

Personalidades

  • Bispo D. Paulo José Tavares
  • Ruy Galvão de Carvalho
  • António Tavares Torres (compôs o primeiro Hino da Autonomia)

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Rabo de Peixe","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.