Rosmaninhal

Rosmaninhal
Idanha-a-Nova



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"rosmaninhal","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Rosmaninhal é uma freguesia portuguesa do concelho de Idanha-a-Nova, com 265,90 km² de área e 733 habitantes (2001). Densidade: 2,8 hab/km².

Rosmaninhal é a maior freguesia do concelho de Idanha-a-Nova, ocupa o canto SE do Distrito de Castelo Branco, e é uma das maiores de Portugal, ocupando 26.590 hectares.

"É uma aldeia enorme, antiga vila, de largas ruas e casas pobres, habitada por jornaleiros e alguns senhores que, sendo grandes possuidores de terra, não renunciaram à vida primitiva da lavoura. Do alto da igreja, a vista abrange uma área enorme de seara e montado, que demora entre o Tejo e o Erges, e alcança, passado o vinco destes rios, uma Espanha igualmente desolada. Trigo, centeio, pasto, coutos, arraiais, rebanhos e, nos matagais abandonados anos a fio, caça que pulula entre estevas e giestas. Também a estes maninhos chegam os serranos da Estrela a invernar, com rebanhos chocalhantes de ovelhas negras. O aspecto da região é extremamente rústico e isolado, uma espécie de Alentejo mais arcaico onde a lavoura rotineira mal conhece as inovações que são já a regra desta província. Uma gente de temperamento franco e hospitaleiro, mas rude e altivo, criada à lei da vida solta e dos horizontes largos, uma terra infinita que guarda nas entranhas esperanças e castigos, onde se embebem os olhos que o beirão verdadeiro costuma levantar mais alto."1

Localidades

História

Povoação que usufruiu de certa importância até ao século XIX, principalmente por deter uma posição estratégica em relação à fronteira com Espanha. Foi vila e sede de concelho entre 1510 e 1836, quando foi suprimido e anexado ao concelho de Salvaterra do Extremo. O município era constituído por uma freguesia e tinha, em 1801, 907 habitantes.

Tem a particularidade de estar dividida em duas partes. A zona antiga com o pelourinho do século XVI que é um dos mais bonitos da Beira Baixa, a casa da Câmara, o largo da guarita, a Igreja Matriz e perto desta, existiu outrora uma fortaleza mandada reconstruir, por D. João IV, durante a Guerra da Restauração. O exterior da freguesia (arrabaldes) possui habitações e moradias mais recentes.

Heráldica

Escudo de prata, cortiço de sua cor; em chefe, corça deitada, de vermelho; em campanha, dois ramos de rosmaninho de verde, floridos de púrpura, passados em aspa e atados de vermelho. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com a legenda a negro, em maiúsculas: “ROSMANINHAL”.

Festas e romarias

  • Romaria de Santa Madalena - Segunda feira de Páscoa
  • Festa de São João-24 de Junho
  • Festas de Verão - primeiro fim de semana de Agosto
  • Festa em Honra do Imaculado Coração de Maria (Soalheiras) - segundo fim de semana de Agosto
  • Festa de Nossa Senhora de Fátima (Cegonhas) - terceiro fim de semana de Agosto

Tradições

Um dos momentos altos de coesão e tradição popular, que conta com a adesão dos lugares de Cegonhas, Soalheiras e Couto dos Correias, são os festejos em honra de São João. Uma festa remota e pagã, original em todo o concelho. A organização da festa fica a cargo do Alferes, o elemento mais velho da família nomeada, que por sua vez é ajudado por dois padrinhos.

Os preparativos da véspera de São João ficam assim a cargo destes que têm como responsabilidade dar de comer gratuitamente a toda a população, ou a quem compareça. No dia de São João, a seguir ao farto almoço, organiza-se o "Tirar do Galo". Na rua do Espírito Santo é colocada uma corda que abrange, lado a lado, da rua. No meio da corda está pendurada uma argola, que os cavaleiros da terra (quem quer que seja, desde que tenha cavalo, mula ou burro pode participar) devem retirar, a galope, com um pau. O primeiro a correr é sempre o Alferes seguido dos Padrinhos. Todos os que conseguirem enfiar o pau na argola recebem um galo de prémio. A disputa é grande e a perícia de alguns cavaleiros que montam a cavalo sem cela é surpreendente, chegando a relembrar cenas de duelos medievais.

Património

No Rosmaninhal predominam várias capelas (a de São Roque, da Misericórdia, do Espírito Santo e de São João, Santo António, São Pedro e a capela das Santas), todas elas com um tipo de construção bastante interessante.

Mas, a riqueza do Rosmaninhal não se prende unicamente com o seu grandioso passado histórico e cultural. Possui ainda uma das zonas ambientais mais ricas do País, que constitui o Tejo Internacional.

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Rosmaninhal","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.