Salvador

Salvador
Penamacor



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"salvador-penamacor","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Salvador é uma freguesia portuguesa do concelho de Penamacor, com 10,21 km² de área e 589 habitantes (2001). Densidade: 57,7 hab/km².

Perto desta aldeia, encontram-se as localidades de Aranhas e de Monsanto. Situa-se a 12 km da sede do concelho e a 7 km da fronteira com a Espanha.

A freguesia do Salvador fica situada no sopé das serras de Penha Garcia. Segundo algumas fontes, Salvador esteve inicialmente situado no sítio da Quinta do Marquês da Graciosa; outras há, que apontam o sítio dos Covões, onde apareceram vestígios de casas, moedas, objectos de uso doméstico e sepulturas cavadas na rocha. Devido à forma como estão distribuídas as casas, leva a crer que só mais tarde é que começaram a construir a actual povoação.

No seu largo principal, é possível visitar a sua antiga igreja, cujo relógio foi restaurado na primeira metade da década de 2000. Possui um lagar, onde é possível comprar azeite preparado de forma totalmente artesanal. O artesanato local inclui adufes, bordados e rendas, entre outros objectos. Na gastronomia, destacam-se o queijo, os enchidos, o presunto, o pão caseiro e o pão-de-ló.

História e religião

Os vestígios mais antigos do povoamento de Salvador encontram-se no chamado sítio dos Covões, onde foram encontrados restos de antigas habitações, uma pia baptismal, diversas moedas, objectos domésticos do dia-a-dia e sepulturas esculpidas em rochas.

Salvador fez parte do extinto concelho de Monsanto até meados do século XIX, altura em que passou a integrar o concelho de Penamacor.

A primeira referência administrativa de Salvador mencionava-a como um priorado, associado à casa de Belmonte. Os condes de Belmonte possuíam diversas propriedades em Salvador. Numa delas, a quinta do cercado, encontrava-se a antiga igreja matriz. A maior parte da população da zona era constituída por caseiros ou rendeiros dos condes. Até 1881, Salvador pertenceu à Diocese de Castelo Branco, altura em que esta foi extinta. A partir de então, passou a integrar a Diocese da Guarda.

A padroeira de Salvador é Nossa Senhora da Oliveira. Reza a lenda que numa concavidade de uma oliveira apareceu uma imagem sua, no sítio dos Covões, nascendo assim o seu culto. Terá no mesmo local existido um templo a ela dedicado, onde repousava a sua imagem. Ao ser este demolido, dada a sua antiguidade, a imagem foi transferida para a igreja matriz da Aldeia de João Pires durante alguns anos, por se recusarem os condes a construir uma nova igreja. Os fiéis viram-se obrigados a construir uma nova igreja, à sua custa, num novo local, onde hoje ainda se encontra. A imagem voltou então a Salvador. Posteriormente, o bispo da Guarda, D. Rodrigo de Moura Teles, em visita à povoação, achou que a imagem se encontrava em tão mau estado de conservação que a mandou enterrar, para que fosse feita uma nova.

A aldeia encontra-se associada a três ermidas. São elas a antiga de Nossa Senhora da Oliveira, a de Santa Sofia, erigida pelo povo, como forma de reconhecimento pela povoação ter sido poupada à destruição por uma inundação, e a de Nossa Senhora de Fátima, de construção mais recente. Anualmente, Salvador celebra a 5 de Maio esta santa padroeira. No dia 12 de Maio, realiza-se uma procissão de velas, durante a qual se podem observar colchas artisticamente decoradas, arcos de flores e diversas lâmpadas acesas.

Património

Igreja Matriz

A Igreja Matriz tem no portal a data de 1891 e foi feita pelo povo, à sua conta, numa elevação próxima da antiga igreja caída em ruínas e que a tradição tende a localizar na quinta do Marquês. Nossa Senhora da Oliveira é a grande padroeira desta terra de Salvador. Segundo contam os mais antigos, a imagem desta Nossa Senhora apareceu num côncavo de uma oliveira, sendo por isso que lhe foi dada tal denominação.

Heráldica

Brasão

O brasão da freguesia de Salvador consiste num escudo de prata, com uma oliveira pintada de verde, com frutos negros. Possui ainda uma flor-de-lis de prata, com duas cabras em cor de púrpura, uma de cada lado. É encimada por uma coroa mural de prata, com três torres. Em baixo, encontra-se um listel branco, com o nome do local em letras maiúsculas pretas: "SALVADOR - PENAMACOR".

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Salvador","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.