Sendim

Sendim
Felgueiras



{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"sendim-felgueiras","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Sendim é uma freguesia portuguesa do concelho de Felgueiras, com 6,48 km² de área e 1.775 habitantes (2001). Densidade: 273,9 hab/km².

A nobre linhagem dos "de Sandim" foi profícua em descendentes, todos eles rendendo-se aos encantos da terra que os viu nascer e ficando definitivamente a ela ligados para toda uma vida.

História

Nesta freguesia viveram povos pré-históricos romanizados e depois subjugados por aguerridos invasores, dos quais deve descender Sendino, que lhe deu o nome. Em 1112 a designação já figurava como nome da região. Situada num extenso vale é dominada a Sul pelo Monte de Santa Quitéria, e a Nordeste pelo Monte de São Sabagudo. A Igreja Matriz foi mandada construir no século XVI pela Universidade de Coimbra. De nota é a Casa da Cabeça de Porca, casa do séc. XVIII, com o seu chafariz colocado no átrio da Casa e uma Capela, assim como o Solar de Sergude, solar pouco vulgar, característico de finais da Idade Média e inícios da Renascença, que conserva ainda restos do gótico primário dos sécs. XIII e XIV.

Património arqueológico

Villa Romana de Sendim

Em 1992, na abertura dos alicerces para a construção de uma moradia, apareceram em Sendim, no concelho de Felgueiras, restos de muros e abundantes vestígios de cerâmicas de tipologia romana. A escavação arqueológica de emergência, aí realizada de imediato, veio revelar a existência de pisos pavimentados com mosaicos de tipo geométrico, colocando a hipótese de se tratar de uma Villa Romana. A Villa Romana, cuja escavação ainda não está terminada, revela uma planta estruturada em torno de um espaço central a céu aberto (peristilo) ladeado por dois corredores com cerca de 20 metros de comprimento. Frente a este espaço abrir-se-ia originalmente o “triclinium”, pavimentado a mosaicos geométricos policromos e que constituía a divisão solene da casa, onde se tomariam as refeições e onde o "dominus" recebia os seus convidados. Para os corredores abriam os cubicula (quartos) onde dormiam os residentes. Vários destes compartimentos eram também pavimentados em mosaico. Para além disso, a casa dispunha ainda de umas "termas", onde se desenvolviam os rituais do banho e massagem que os romanos tanto apreciavam e de que ainda subsiste o hipocausto de uma grande piscina. Esta grande casa agrícola terá sido começada a construir na 2ª metade do séc.I d.C., tendo sido reformulada no séc.III e ocupada até à 1ª metade do séc.V, já em época Cristã, como nos comprova um tijolo onde aparece gravado o signo de Salomão. A continuação das escavações arqueológicas e a recuperação da Villa Romana de Sendim permitirá a toda a zona norte dispor de uma estação arqueológica de grande importância, quer a nível didáctico, quer a nível do turismo cultural.

Colectividades

O Associativismo local está representado pelo Conjunto Típico Estrela Azul, Associação Cultural e Recreativa de Sendim e a SIRGO.

Festividades

O seu Orago é São Tiago ao qual é dedicado uma festa a 24 de Julho.

Fonte de Informação

Ligações externas

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Sendim","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.