Sociedade Filarmónica Recreio e União Alhosvedrense

Sociedade Filarmónica Recreio e União Alhosvedrense
Alhos Vedros

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"sociedade-filarmonica-recreio-e-uniao-alhosvedrense","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"alhos-vedros","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


A Sociedade Filarmónica Recreio e União AlhosVedrense, centenária instituição da vila de Alhos Vedros, concelho da Moita, foi fundada a 2 Agosto 1869 por D. Manuel de Sampayo e Castro (conde de Sampayo) com a finalidade de promover distracções aos associados e famílias, tais como jogos lícitos, reuniões, palestras culturais, excursões recreativas e turísticas bem como instrução escolar com aulas de alfabetização, música, dança, etc.

História

Fundadores

A sua primeira sede situou-se na rua Cândido dos Reis e foi inaugurada a 2 de Agosto de 1871, data que marca o início da actividade musical da banda filarmónica sempre impulsionada pela família Sampayo. Era presidente da Direcção nessa altura D. António de Sampayo Mello e Castro (Marquês de Sampayo), filho do fundador.

Esta família tinha tal amor às artes que, além de comprar muito do instrumental para a banda musical, ainda pôs à sua disposição um barco para as suas deslocações. Por relato escrito sabemos, que nesse dia houve festa rija em Alhos Vedros, com muitos foguetes e animação tendo-se deslocado toda a população para o cais da vila a esperar os músicos com o maestro titular, o espanhol D. Dominguez e muitos convidados.

Início do Século XX

Em 1906 a banda da música atingiu o seu apogeu, sendo considerada nessa altura, uma das melhores bandas do país, qualidade que manteve durante alguns anos. Em 1920, por subscrição popular, foi construído o Coreto na Praça da República, o que contribuiu para aumentar a audiência às actuações da Banda. Nessa altura a Colectividade começa a projectar-se no campo cultural, sendo de assinalar os grandes laços de amizade que se começaram a desenvolver com outras colectividades congéneres.

A sede da colectividade passa para a Rua 5 de Outubro, tendo-se comprado nesta altura a 30 de Março de 1929, o terreno onde estão as actuais instalações. Era Presidente da Direcção o Sr. Luís da Costa; vice-presidente, o Sr. José Jorge e como Tesoureiro Sr. João Pereira Damaso.

Em 2 de Agosto de 1932, inaugurou-se o edifício que agora foi aumentado e modificado, constando a sala de espectáculos, palco, biblioteca, etc., tendo sido seus principais obreiros os senhores Pedro de Aquino, Manuel Aquino, Virgílio Pereira, João Marques Estaca e Francisco Ribeiro. Em 1945 estas instalações já eram insuficientes, tendo-se ampliado nessa altura a sede com um bar, sala de jogos, gabinete de direcção, sala de ensaios e instalações sanitárias. Em 1956 realizaram-se os primeiros jogos florais.

Década de 50 ao final do Século XX

A partir da década de 50 começa a sentir-se a necessidade de fomentar a prática desportiva dos associados e familiares. Assim lança-se a construção do pavilhão gimnodesportivo que é inaugurado a 19 de Outubro de 1974. Como a obra é imensa e não há capacidade para construir todo o projecto, edificam-se as instalações destinadas à parte antiga que fica a funcionar só como Bar e Biblioteca. Assim, foi preciso muita coragem para na altura, a Direcção e a comissão de obras, com pouco dinheiro começarem uma obra de tal envergadura. Mas sem coragem , optimismo e confiança no futuro as Colectividades, e em particular a S. F. R. U. A., nada eram. A partir desta data passam-se a poder praticar diversas modalidades desportivas, entre elas , ginástica, patinagem, basquetebol, futebol salão, voleibol, karaté, hóquei, badminton, etc., e diversas actividades culturais, como espectáculos de variedades, bailes, teatro, etc., chegando-se a ter 1.200 atletas a praticar as diversas modalidades desportivas.

A Direcção de 1987 liderada por António Rato retoma o projecto da 2ª fase, e com o apoio da direcção Geral do Ordenamento do território, consegue-se que seja inscrito em PIDDAC, obtendo-se assim parte do financiamento para a construção. Tendo a Câmara Municipal da Moita exigido a manutenção da traça arquitectónica do edifício, não aprova o projecto existente. Como factor determinante no novo estudo a apresentar, a direcção de 1988 (Presidente: Rui Joaquim Rosa Madeira), contrata um gabinete de arquitectura que elabora o projecto do edifício actual. A direcção de 1990, (Presidente: João Correia da Cruz), lança a obra, que começa a 2 de Abril de 1990. Com instalações dignas e próprias para poder desenvolver ainda mais toda a sua capacidade no campo cultural e desportivo, adaptando-se aos interesses e carências dos sócios em particular, e da população em geral.

Inauguração da sede social

Em 12 de Setembro de 1993 a Colectividade tem a honra de receber Sua Excelência, o Primeiro Ministro, Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva, que inaugurou a obra concluída.

Não podemos esquecer o Sr. Dr. Nunes Liberato, que com a sua presença na inauguração da nova sede viu assim terminado um projecto ambicioso onde ele próprio se empenhou afincadamente, quando exercia o cargo de secretário de estado da Administração Local e ordenamento do território.

Medalha de Mérito

Em 5 de Fevereiro de 1993 a S. F. R. U. A. tem a honra de receber de Sua Excelência, o Sr. Presidente da República Dr. Mário Soares, no âmbito da presidência aberta com a Ordem de Mérito. Esta distinção é sem dúvida um marco histórico para a S. F. R. U. A. e um reconhecimento à sua nobre causa.

Medalha de Honra do Município

A 30 de Setembro de 1994, a S. F. R. U. A. vê reconhecido a nível concelhio o trabalho desenvolvido pelas várias direcções, com a atribuição da medalha de honra do município pela Câmara Municipal da Moita.

Fonte de Informação

Ligações externas

Artigos relacionados com Alhos Vedros

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, no images found attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Sociedade Filarm\u00f3nica Recreio e Uni\u00e3o Alhosvedrense","order":"dateAddedDesc"}}

Fotografias da região

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Alhos Vedros, alhos-vedros sociedade-filarm\u00f3nica, -Sociedade Filarm\u00f3nica Recreio e Uni\u00e3o Alhosvedrense","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.