Tradições de Carmões

Tradições de Carmões
Carmões

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"tradicoes-de-carmoes","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"small","userName":"Portuguese_eyes","tags":"carmoes","order":"interestingness-desc","perPage":"1","limitPages":"1"}}
anuncio100x60.png


Carmões, no concelho de Torres Vedras, é uma freguesia rica em tradições que têm sido conservadas pelos seus dedicados habitantes, contribuindo, desta forma, para o enriquecimento da cultura local. A literatura popular, da qual se destacam as lendas, é uma das manifestações culturais que o povo desta freguesia tem preservado e divulgado de geração em geração, destacando-se a Lenda da Construção dos Passos.

Lenda da Construção dos Passos

Conta a história que os Passos foram mandados construir por José Baptista Canha, no início do século XX, devido a uma promessa por uma graça concedida. Reza, então, a lenda que, em 1903, era José Canha um moço quando foi de visita a casa de um primo a Lisboa. Ali foi preso pelos monarcas, sendo condenado à morte. Quando estava na prisão, José Canha prometeu a Deus que se o salvasse daquela situação, mandaria arranjar os Passos. Uma funcionária da prisão onde José Canha se encontrava, ao ver que estava para ser morto um jovem tão bonito e de bem, ajudou-o a fugir. Assim que chegou a São Domingos mandou construir os Passos, que ainda hoje existem, e realizou uma procissão.

As pessoas mais antigas da freguesia contam ainda que existiu a tradição das raparigas da Corujeira enfeitarem com flores a Cruz que existia no largo principal (diz-se que ali foi construída a mando da Rainha D. Leonor), todos os anos, no dia 3 de Maio, em consagração à Santa Cruz. No entanto, por volta de 1920, esta cruz foi derrubada, não se sabe por quem nem porquê, quebrando assim esta antiga tradição.

Festas e romarias

Do rol de tradições da freguesia de Carmões devem ainda destacar-se as festas e romarias que ali se realizam. Algumas delas são de teor religioso, dedicadas aos seus santos devotos, e outras há de conteúdo não religioso. Em termos de festas religiosas, a que assume maior relevância, pois congrega toda a freguesia, é a Procissão dos Passos, que se realiza no Domingo que antecede a Páscoa. Esta procissão remonta já a finais do século XIX, mais propriamente ao ano de 1872.

Além desta celebram-se ainda as seguintes festas: Festa do Mártir São Sebastião, em Carrasqueira; Festa de Nossa Senhora da Piedade, na Corujeira; a Festa de São Gregório, no Braçal, Festa do Padroeiro São Domingos, em São Domingos de Carmões.
Hoje em dia, estas festas já não se cumpre com a regularidade de outrora, ou seja todos os anos, devido à falta de adesão da população. Actualmente está dependente da vontade e iniciativa de um grupo de moradores.
Estas festas, a par do seu carácter religioso, marcado por missa e procissão, apresentam um lado profano, de carácter mais popular, que se traduz na existência dos tradicionais bailes, jogos populares (como a Caça ao Galo), largadas de touros (Pamplonas) e provas desportivas (especialmente futebol).

No que se refere às festas não religiosas, merecem referência os leilões. Esta tradição tem sido mantida na Carrasqueira e implica um processo com várias tarefas. Faz-se um peditório pelo lugar, denominado “a pedida do Santo”. Têm também de ser feitos os bolos, que são vendidos numa qualquer casa, adquirindo então o nome de “casa do santo”. Conjuntamente com estes bolos, de tamanho regular, são feitos outros maiores que servem para enfeitar o “cargo”, estrutura metálica que é enfeitada com estes bolos e com frutas e depois é leiloado. Fazem-se, ainda, em ponto grande, uns bonecos chamados “palastrões”, uns répteis designados “sardão”, dois corações e uma trança. Tudo isto é feito para ser leiloado com o “cargo”. Em tempos passados, esta tradição repetia-se nos vários lugares de toda a freguesia, podendo ter algumas variantes. No entanto, hoje em dia, realiza-se apenas na Carrasqueira, e já não envolve todo este ritual.

Nas festas existentes em São Domingos de Carmões, ainda há o costume das “quermesses”. Para o efeito, é construído um tipo de coreto, decorado com papel, onde se colocam vários objectos ou utensílios, a maioria ofertas. A todos os objectos, numerados, corresponde uma rifa, também ela numerada. As pessoas que comprarem uma rifa, ficam com o respectivo prémio.

Em alguns lugares da freguesia, conserva-se a tradição das fogueiras dos santos populares e as matanças de porco.

Realiza-se ainda um concurso infantil, com crianças da freguesia até aos quinze anos. O “Novos Talentos”, como é designado o evento, consiste na imitação de cantores e dançarinos e na exposição de pequenos trechos de teatro. O vencedor representa a freguesia na final que se realiza em Torres Vedras.

Jogos tradicionais

Na freguesia de Carmões ainda se preserva o costume de praticar diversos jogos tradicionais, principalmente durante a realização das festas, como é o caso do Jogo do Cinquilho, do Jogo da Bilha, da Corrida de Sacos e das Pamplonas.

Jogo do Chinquilho

O jogo do chinquilho consiste no arremesso de uma malha de forma a derrubar um pino, que se encontra num tabuleiro, no chão. Cada derrube do pino vale dois pontos, quem conseguir ter a malha mais próxima do pino obtém um ponto. O jogo termina aos vinte e quatro pontos. No entanto, durante o jogo, os participantes com menos pontuação podem impôr regras, designadamente a mudança de jogo chamado “à sinca”, em que o jogador pontua sem que a malha passe a linha de colocação do pino, bem como mandar a malha por baixo da perna.

Jogo da Bilha

Consiste numa corrida, a pé ou de bicicleta, onde os participantes, de olhos vendados e com uma vara, tentam partir uma bilha que se encontra suspensa.

Corrida de Sacos

Os participantes entram num saco de sarapilheira e, saltitando, procuram alcançar a meta estabelecida. Vence a corrida aquele que chegar primeiro e com menos tombos.

Pamplonas

As Pamplonas são largadas de touros pelas ruas da freguesia, onde algumas pessoas vão correndo a brincar com o touro e outras a fazer de forcados. Algumas chegam mesmo a ser colhidas pelos animais, uma vez que não conseguem fugir a tempo.
Nestes dias, nas ruas, não faltam petiscos, como sardinhas e couratos, para confortar o estômago das pessoas que assistem às largadas.

Fotografias

Galeria dos nossos visitantes
As fotografias desta secção, em todos os artigos, são colocadas pelos nossos leitores. Os créditos poderão ser observados por clicar no rodapé em files e depois em info. As imagens poderão possuir direitos reservados. Mais informações aqui.

Sorry, we couldn't find any images attached to this page.

Galeria Portuguese Eyes
As fotografias apresentadas abaixo são da autoria de Vítor Oliveira.

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Tradi\u00e7\u00f5es de Carm\u00f5es","order":"dateAddedDesc"}}

Fotografias da região

{"module":"wiki\/image\/FlickrGalleryModule","params":{"size":"thumbnail","userName":"Portuguese_eyes","tags":"Carm\u00f5es, carm\u00f5es torres-vedras, -Tradi\u00e7\u00f5es de Carm\u00f5es","order":"dateAddedDesc"}}

Mapa

Artigos relacionados

Artigos com a mesma raiz:

Artigos subordinados a este (caso existam):

Adicione abaixo os seus comentários a este artigo

Comentários

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under GNU Free Documentation License.